A Orientadora

Paula Castagnet nasceu em Buenos Aires, Argentina, em 1970. Criou-se num ambiente onde jazz, música erudita e música tradicional da América Latina (incluindo MPB) sempre estiveram muito presentes.

Começou estudar Canto em 1991 na “Escuelita” de David Lebbon e no ano seguinte entrou na Escola do Sindicato Argentino de Músicos (SADEM), onde se aproximou da MPB, da salsa, e do candombe (música afro do Rio da Prata) assim como de outros ritmos da América Latina. Em seis anos fez aulas de Canto, Percussão, Harmonia, Leito escritura, Trabalho Corporal e Ensambles de estilos. Enquanto isso fez cursos de dança no “Dançario Americano”.

De 94 a 99 trabalhou na Universal Music, onde conheceu Mercedes Sosa, Rubén Rada, Pedro Aznar, entre outros, adquirindo intimidade com o universo musical profissional. De 97 a 2007 fez parte da escola de Canto Essencial, a qual trabalha o canto como expressão natural do ser humano, que precisa ser resgatada.

Em Dezembro de 99 mudou-se para a Bahia, e estudou na UFBA: Teatro, Carlos Petrovich; Dicção, Marilda Santana; MPB, Tom Tavares; Folclore, Ângela Luhning; Didática, Alessandra Assis; Percussão, Baguinha; Violão, Julio Miranda, dança e participou de ACC (Atividade Curricular em Comunidade) com Beth Rangel e Ordep Serra.

Num workshop da Unesco, em abril de 2003, Sérgio Bahia, Paula Castagnet e Lê Menestrel criaram o Projeto Bahiamérica, que começou com shows dos três músicos e foi envolvendo, entre outras pessoas, o pianista Martín Rivero, os violonistas Itto Agra e Gustavo Melo, os percussionistas Everton Isidorio e Lucas Viana, que se somaram a este projeto.

No projeto se lembra, desde a música, que a Bahia faz parte da América Latina, com as raízes em comum entre os diversos ritmos, especialmente, com os ritmos baianos.            Se apresentaram no Pelourinho Dia e Noite, Aeroclube, Costa de Sauípe, Teatro XVIII e nos bares:Cantina da Lua, Las Margaritas, Dona Flor, Casa da Mãe, entre outros.

De 2003 a 2006 a Paula conviveu e trabalhou com comunidades indígenas, deu aulas na Fundac, no Cam, pra Escola Pracatum e no Terreiro de Candomblé Ilê Axé Iji Ati Oyá e com crianças do Eng. Velho de Brotas.


Em 2007 morou em Buenos Aires, onde tomou aulas de violão na “Peña del Colorado” e de percussão no movimento de candombe “Lonjas de San Telmo”. Deu aulas de música num Jardim de Infância e aprofundou-se na Liberação da Voz e Círculo de Mulheres na Escola de Música En Clave, orientada pela musico-terapeuta Verônica Romar. Se apresentou sendo parte do grupo “Meninos com Fome” (MPB) e com o Bahiamérica nos bairros de San Telmo (Perro Andaluz) e Palermo (Foynes, ex Paraíba).

Atualmente da aula de musicalização para crianças na escola de Angélica VillasBoas e realiza o curso de Liberação da Voz no Espaço Aberto Vanacontramão, além de espetáculos de rua.

© Copyright 2004, Espaço Aberto Vánacontramão.